quinta-feira, 13 de novembro de 2014

ALIMENTOS- POR PAOLA CAROSELLA- MASTERCHEF BRASIL

"Por trás do nosso alimento existiu antes uma vida. Nos impressionamos e horrorizamos ao ver a morte, mas a morte está implícita no que a maioria de nós come.
Existe uma desconexão total hoje em dia, para a maioria de nós, entre o animal vivo e a proteína no prato. Compramos o nosso alimento embalado prolixamente em plástico com código de barras e toda a “segurança e higiene alimentar“ e isto, de alguma forma, nos livra da culpa. Nossas aves não têm pés nem cabeça, podemos comprar apenas o peito fatiado e sem pele. As carnes vêm porcionadas em cortes que nem lembram o formato do músculo do animal. A maior parte de nós, humanos, comemos animais. Esta é a nossa realidade, é fato.
O episódio desta terça que tanto nos espantou talvez possa servir para nos acercar um pouco da realidade de que toda a prolixidade da comida processada e industrializada nos priva: comemos bichos que alguma vez estiveram vivos.
Me pergunto se, talvez, ter mais consciência sobre isto, ter uma conexão maior com o animal, não nos faria respeitá-lo muito mais? Aproveitar a sua carne da cabeça ao rabo sem desperdiçar nada? Honrar mais o alimento sendo cientes de que por trás dele aconteceu uma vida? Exigir muito mais de quem o cria? Saber como ele foi criado? O que ele come? Como ele é abatido?
Por trás de tudo o que comemos teve uma vida. De tudo, até das plantas, algas, sementes, minerais. Tudo é vida. E a morte é intrínseca à vida.
Olhar a vida nos olhos com compromisso e responsabilidade, fazendo o melhor que pudermos com ela? Ou mirar para o outro lado e continuar como se nada estivesse acontecendo, nos espantando por aquilo do qual de fato somos parte, só que já cortado em cubinhos e embalado a vácuo?"
Paola Carosella

Nenhum comentário:

Postar um comentário